:: USP tem oficina gratuita com dicas para fotografar com smartphones ::
16.11.2015 por Portal G1

 

ICMC vai ensinar técnicas no sábado (21), das 9h às 13h, em São Carlos. São 40 vagas e inscrições devem ser feitas pela internet.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos (SP), oferece uma oficina gratuita que ensina técnicas para fotografar com smartphones no próximo sábado (21), das 9h às 13h.

As inscrições devem ser feitas pela internet. São 40 vagas disponíveis e a participação pode ser confirmada enquanto houver vagas.
Não é necessário ter conhecimento prévio sobre o assunto, mas é importante que cada participante leve o seu próprio celular com câmera fotográfica e cabo de transferência de imagens.
O fotógrafo Paulo Arias vai apresentar, durante duas horas, os principais conceitos para produzir boas imagens ao usar câmeras fotográficas disponíveis nos celulares, além de mostrar alguns recursos existentes no mercado que poderão ampliar o arsenal de possibilidades dos fotógrafos.
Os participantes ainda produzirão um ensaio fotográfico coletivo com o objetivo de colocarem em prática tudo o que aprenderam.

 

 

 

:: PRIX DE LA PHOTOGRAPHIE PARIS 2012 ::
07.05.2012 por PX3 Press (traduzido)


Fotógrafo brasileiro ganha primeiro lugar no Prix de La Photographie Paris 2012
Paulo Arias foi premiado na categoria profissional “altered images – fine art”, com uma imagem produzida com a câmera de um celular
 
Com uma foto da série “Gravuras Fotográficas: uma desconstrução imagética de São Paulo em preto e branco", o fotógrafo brasileiro Paulo Arias foi premiado na categoria profissional “altered images – fine art” do Prix de La Photographie Paris 2012. A imagem foi escolhida entre as milhares inscritas por fotógrafos de mais de 85 países.

“A simplicidade das lentes, a inexistência do zoom e a baixa resolução da câmera utilizada neste projeto me desafiaram a encontrar soluções criativas às limitações da própria tecnologia, que é muito recente no mercado”, explica Arias. Para ele, a premiação significa o reconhecimento da legitimidade das possibilidades artísticas dessa nova linguagem fotográfica surgida a partir do uso das câmeras digitais agregadas aos telefones celulares.

O júri do Prix de La Photographie Paris 2012 é formado por curadores, galeristas, consultores, diretores de arte e editores de fotografia de importantes publicações de todo o mundo, como, por exemplo, a editora de fotografia da revista Time, Alice Gabriner.

Sobre o prêmio

O “Prix de La Photographie Paris” (PX3) é considerado uma das maiores e mais prestigiadas premiações da área fotográfica na Europa. O concurso busca promover a apreciação da fotografia, descobrir novos talentos e introduzir fotógrafos do mundo todo na comunidade artística de Paris. Os ganhadores da competição participam de uma exibição em uma conceituada galeria em Paris e têm seus trabalhos publicados no anuário do prêmio (PX3 Anual Book). Para mais informações, acesse http://px3.fr

 

 

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
:: ENTREVISTA NA CATRACA LIVRE (FOLHAONLINE) ::
21.07.2010 por Marina Mantovanini 

 

Exposição de fotos apresenta São Paulo através do olhar de estudantes da USP

 

Até o dia 27 de agosto fica em cartaz no Espaço DÁvila, da USP, a exposição Flânerie 16. Idealizada por Atílio Avancini, coordenador do programa da disciplina de pós-graduação da ECA-USP A Linguagem da Fotografia, a mostra reuniu fotos de 16 alunos do curso formado por fotógrafos, professores e pesquisadores.

Entorpecidos com boas doses de Flüsser, Bresson, Sontag e muitos outros expansores da percepção, os alunos saíram em uma manhã de sábado pela rua Augusta, avenida Paulista e arredores para registrar as imagens que fariam parte da exposição. O projeto focou a capital paulista por fazer parte inteiramente da vida de cada estudante do curso e pela diversidade de imagens que ela reproduz diariamente.

"São Paulo é de certa forma o palco da nossa vida. É uma cidade de muitas perspectivas, em que cada um é livre para lançar seu olhar e registrar um momento no tempo. Escolher São Paulo como tema nos permitiu ver a cidade através dos olhos de vários fotógrafos. Assim, uma mesma rua, muro ou pessoa espelha um pouco da individualidade de cada um. Foi um exercício fascinante do olhar", conta Paulo Arias, um dos fotógrafos participantes.

A única regra estipulada para fazer parte do projeto era clicar imagens coloridas. Fora isso, cada fotógrafo ficou livre para usar o suporte que quisesse: analógico ou digital. Para nós, o importante mesmo era o que chamaria a atenção de cada um e como registramos esse momento. Essa liberdade resultou na riqueza visual da exposição. Acredito que todos nós mudamos muito depois das aulas com o Atílio. Apuramos mais nosso olhar, entendemos melhor a arte da fotografia e, certamente, ampliamos nossos horizontes pessoais e profissionais, explica Paulo.

A curadoria foi realizada de uma maneira muito criativa, em que o grupo opinava a partir de cinco fotos (ampliadas em papel) trazidas por pessoa: "claro que a palavra final era do autor, mas a troca foi muito rica", comenta Atílio. "Um fator importante para idealizar a exposição foi a saída fotográfica que fizemos no MASP. Isto contribuiu em muito para a integração de todos e para tomadas fotográficas nos mesmos lugares  o que resultou numa estética harmoniosa", diz Avancini.

Para preparar a mostra os aluno se uniram para lixar e pintar a parede, levar o material para ampliar, fazer o layout, escrever o texto de abertura, organizar o lançamento e criar o site. Para o coordenador Atílio Avancini a iniciativa reflete também a visão mais aberta do meio acadêmico para o objeto fotografia.

 

 

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

:: MATÉRIA NO JORNAL A TRIBUNA EM 19.05.2010 ::

Belas imagens que revelam Santos

 

A vista a partir do Monte Serrat, as cores das cadeiras de praia sobre a areia e a arrebentação das ondas no QuebraMar do Parque Roberto Mário Santini, em Santos. Essas foram as três imagens vencedoras do V Prêmio Baixada Santista Através das Lentes, que premiou fotógrafos profissionais e amadores. O concurso é uma iniciativa de A Tribuna e Marimex. A solenidade de premiação foi realizada ontem, na Griffe Hall.Os ganhadores foram Paulo Vinicius Ramos Arias, na categoria Profissional, com o trabalho Meu Amor e Fábio de Almeida Carlini, na Amador, com Cadeiras de Verão. Ambos foram selecionados pelo júri formado por repórteres-fotográficos de A Tribuna e representantes dos patrocinadores e apoiadores do evento. Pela primeira vez no concurso também foi entregue o Prêmio Especial, pelo qual é escolhida a melhor foto com o tema Surfe no Quebra-Mar. A votação é feita via internet. O vencedor foi Sidney Lopes, com Plataforma do Surf. Ele recebeu 21.538 votos, de um total de 49.441. "A escolha deu muito trabalho", afirmou a diretora de Marketing de A Tribuna, Renata Santini Cypriano. Segundo ela, o nível do concurso chamou a atenção pelo alto nível geral. "Foi muito parelho. Pouco se percebia quem era profissional ou amador". O diretor da Marimex, Tiago Quaglia Cristiano, salientou a chance de divulgação de novos talentos. "Acabamos revelando gente que tem um trabalho excelente".

PRÊMIOS

"A foto quase não aconteceu", revelou Paulo Vinicius Arias. Ele contou que sua esposa, retratada na imagem, estava com medo de subir o Monte Serrat com o bonde. "Mas deu tudo certo no final", disse ele, que, apesar de santista, mora em São Paulo e trabalha como freelancer em uma agência de comunicação da Capital. Arias ganhou uma viagem a Florianópolis e será responsável por sugerir uma reportagem ao programa Rota do Sol, da TV Tribuna. Já o vencedor entre os amadores disse que o momento de maior indecisão é o de escolher qual imagem enviar. "Dá aquela angústia de não saber qual a mais competitiva", contou Fábio Carlini. E como resolver o imbróglio? "Mandei as que mais gosto". Ele também viajará à capital catarinense. Para o vencedor da categoria Especial, o universo a ser retratado já era bem familiar. "Surfo há mais de 20 anos. A espera pelo momento certo de clicar a paisagem valeu a pena. "Passei bastante tempo lá (no Parque Roberto Mário Santini), exercitando a melhor tomada". Deu certo: ele recebeu uma prancha de surfe e uma viagem para Atibaia. O concurso conta com o apoio do Miramar Shopping, Taks Tour, Sthill e Rota do Sol.

 

 

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

:: MATÉRIA NO BLOG IMAGE & VISIONS ::
09.01.2010 - Por Fernando Rabelo (Editor)

 

Paulo Arias deixou o Brasil para registrar as desigualdades sociais da humanidade

Dando continuidade a proposta de apresentar talentos da fotografia brasileira, o Images&Visions destaca hoje a obra do fotógrafo e ambientalista Paulo Arias, 32 anos, que registrou as desigualdades sociais da humanidade, deixando o Brasil para percorrer a Europa, América do Sul e África em prol do desenvolvimento econômico e social. Atuou em diversas organizações não governamentais na Inglaterra, Quênia e Equador, produzindo ensaios fotográficos que mostram os desafios do dia-a-dia dessas instituições. Paulo Arias se formou em administração de empresas, com pós-graduação em International Business pela STM (uma divisão da London School of Commerce) e com MBA na University of East London, cursou desenvolvimento econômico e social no Global Development Fórum sob supervisão do economista holandês Benny Dembtizer (ex-Banco Mundial). Atualmente desenvolve suas atividades com fotografia em São Paulo e paralelamente é Consultor em Desenvolvimento Sustentável (CSR Intelligence Consulting) e Coordenador da Pós em Gestão Ambiental na Universidade Paulista em São Paulo.

 

 

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

:: MATÉRIA NO PORTAL WALKSHOW  EM 19/10/2009 ::

 

O  fotógrafo Paulo Arias demonstra um olhar plural sobre temas de efervescência social: violência, movimentos civis e manifestações de minorias, entre outros. O estilo fotojornalístico que emprega em seus registros fornece um olhar narrativo até mesmo em paisagens, objetos e naturezas mortas.

Com um currículo repleto de viagens internacionais, Arias exibe um estilo livre de fronteiras, que dialoga tanto com a obra de mestres estrangeiros, como o francês Henri Cartier-Bresson (1908 - 2004), quanto com o legado de expoentes nacionais, como Sebastião Salgado (nascido em 1944).

A versatilidade em seu trabalho também se revela por meio das escolhas técnicas: utiliza o visual em preto e branco assim como o colorido, sem ficar preso a um padrão.

 

 

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
:: ENTREVISTA NO SF ART & DESIGN PORTAL ::
01.02.2007 - Acesse em http://www.strangefruits.nl/v8.0/xposure.php?id=16

 

 

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
:: MATÉRIA NA REVISTA PHOTO MAGAZINE (Ano 2 - n.9) ::
01.08.2006 - Acesse em http://www.photomagazine.com.br